Domingo, 16 de Outubro de 2005

Flor




É a essência da vida, e provavelmente, a própria vida. Não há grilhões que, impedem a contribuição dos pássaros e insectos, para a sua multiplicação e diversidade. Nascem bonitas, frescas e doces, floreando pelo mundo e multiplicando aromas num florão gigante. Quando não há água para a floreira, nem pão para os Homens, o tempo encarregar-se-á de anunciar, mais tarde ou mais cedo, o castigo da Deusa das flores. Então, descobrir-se-á que, o florão que finalmente se amou e idealizou, já não existe; provavelmente nunca existiu. O tempo, não volta para trás, não reconsidera, não perdoa. Simplesmente esmaga sonhos, flores e talentos. Já não haverá poetas que evocarão: a flora, os animais, as pessoas, a cultura, os Demónios e os Deuses. Os rios cobrir-se-ão de pedras, as montanhas verterão lágrimas e o roseiral transformar-se-á num florete. Rosas jovens, que, se fizeram velhas anacronicamente, hão-de sentir-se traídas, porque, impedidas de realizar os seus sonhos. É o tempo! Destino, dizem alguns; aventura, dirão outros ainda. E quando se perde tempo e oportunidade, é a vida das Rosas que se esbanja. A vida de todas as flores.


publicado por adelino às 20:21
link do post | comentar | favorito
|
1 comentário:
De Anónimo a 3 de Novembro de 2005 às 19:27
Como é tão bela a Rosa-de-porcelana.
Porque temos de estragar tudo com as imbecilidades que praticamos neste raio de vida.
Com é tão bela e como consegue permanecer viçosa meses.
Talvez devesse-mos pôr os olhos nela; talvez nos ensinasse muita coisa que precisamos.
Cumprimentos
Eugénio AlmeidaEugénio Costa Almeida
(http://pululu.blogspot.com)
(mailto:lobitino@hotmail.com)

Comentar post

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Janeiro 2011

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. A Morte de Chico Paleio

. Bons e Maus Chefes de Coz...

. A Ilusão do Poder de Sãm ...

. O Festim Carnicento dos “...

. O Presunto dos Bufados

. Branco mas Pouco Transpar...

. O Curandeiro, o Médico e ...

. Um Príncipe Quase-Perfeit...

. Mexer no Sistema para Mud...

. Os Aprendizes de Feiticei...

.arquivos

. Janeiro 2011

. Setembro 2010

. Fevereiro 2010

. Agosto 2009

. Maio 2009

. Março 2009

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Janeiro 2008

. Setembro 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Julho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

. Janeiro 2005

.links

blogs SAPO

.subscrever feeds