Sábado, 2 de Julho de 2005

Transparência




Periodicamente surgem notícias que abalam a credibilidade dos políticos nacionais. Recentemente dois casos mereceram a atenção e discussão pública: a) o Presidente do Tribunal de Contas recebeu um automóvel novo para seu uso pessoal, de acordo com a actividade pública que exerce, no valor de 45 mil Euros, segundo alguma imprensa;
b) foram distribuídos apartamentos, e segundo se diz, a maioria dos contemplados são políticos, ex-governantes, actuais governantes, etc. Estas duas notícias passariam despercebidas, se, o contexto socioeconómico não fosse de aperto rigoroso para a generalidade dos Sãotomenses, e se, a conduta, métodos e prática institucional e dos detentores de cargos políticos, denunciasse alguma transparência. Num contexto de aperto e dificuldades de natureza económica e financeira, percebe-se mal, que, um titular de cargo público, neste caso, o Senhor Presidente do Tribunal de Contas, tenha um privilégio que choca com o discurso de austeridade proclamado pela generalidade dos governantes, e que, suporta a essência intransigente do governo em negociar com os sindicatos da função pública. Que moralidade terá o governo para dizer aos sindicatos da função pública, que, o país não está em condições de suportar as suas exigências, depois de contemplar o Senhor Presidente do Tribunal de Contas com um automóvel deste calibre e custo?? Relativamente aos apartamentos, distribuídos de forma avulsa e irresponsável aos políticos, percebe-se também mal, a motivação, na medida que, alguns destes políticos contemplados com os referidos apartamentos, já usufruem de casas do Estado. Como é que se pode conquistar a confiança dos cidadãos nas instituições da República, com este tipo de comportamentos predatórios ?? Torna-se urgente que a Assembleia Nacional reforce e aprofunde o sistema de controle da riqueza e dos interesses dos titulares de cargos políticos, elaborando e aperfeiçoando legislação que vise dotar a vida pública de alguma transparência. A confiança dos cidadãos no nosso sistema político democrático, na qualidade do seu funcionamento, depende em larga medida, da possibilidade efectiva de avaliação pública das actividades e dos interesses que os nomeados ou eleitos para os cargos públicos detêm.


publicado por adelino às 12:32
link do post | comentar | favorito
|
1 comentário:
De Anónimo a 2 de Julho de 2005 às 21:44
E o condomínio fechado que estão a construir em pleno dentro da cidade de São Tomé.
Segundo me constou são vivendas maravilhosas para um país que ainda está em gestação... ou será que o petróleo já rola em roldos e desconecia-se?
Força nas denúncias.
A liberdade e a democracia merecem respeito
EugénioEugénio Costa Almeida
(http://pululu.blogspot.com)
(mailto:lobitino@hotmail.com)

Comentar post

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Janeiro 2011

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. A Morte de Chico Paleio

. Bons e Maus Chefes de Coz...

. A Ilusão do Poder de Sãm ...

. O Festim Carnicento dos “...

. O Presunto dos Bufados

. Branco mas Pouco Transpar...

. O Curandeiro, o Médico e ...

. Um Príncipe Quase-Perfeit...

. Mexer no Sistema para Mud...

. Os Aprendizes de Feiticei...

.arquivos

. Janeiro 2011

. Setembro 2010

. Fevereiro 2010

. Agosto 2009

. Maio 2009

. Março 2009

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Janeiro 2008

. Setembro 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Julho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

. Janeiro 2005

.links

blogs SAPO

.subscrever feeds